24 de julho de 2009

O sono antes do Programa do Jô e o que me manteem acordada!


Quase caio no sono antes da 6 da manhã.

Sempre Caio F. antes do sono.

Em o Principe Madito, de Mary Del Priore a princesa Leopoldina Teresa Francisca Carolina Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga Saxe e Coburgo (é claaaro que eu colei!)Morreu, deixando quatro filhos, seu marido Gusty Saxe e Coburgo inconsolável, uma irmã (Princesa Isabel) com inveja de sua fertlidade, porém saudosa, e seu primogênito Pedro de Alcântara Augusto Luis Maria Miguel Rafael Gonzaga de Bragança Saxe e Coburgo, tão perto e ao mesmo tempo tão longe de se tornar o monarca do III Reinado no Brasil.
No capitulo 3 fica claro a preferencia monarquica , politica e populacional pelo Principe dito 'O Favorito'.O ódio e a repúdia geral pelo casal d´Eu, favorecia o primogênito Saxe e Coburgo.

Mas eu não quero falar sobre o fim da Monarquia no Brasil.Eu não quero falar sobre príncipes, loucuras, familias reais.



Nada expressaria melhor o que sinto agora , ninguém entenderia o que se passa dentro da minha insana cabecinha sem entender ou ler o que segue

"Chorei três horas, depois dormi dois dias.Parece incrível ainda estar vivo quando já não se acredita em mais nada. Olhar, quando já não se acredita no que se vê. E não sentir dor nem medo porque atingiram seu limite. E não ter nada além deste amplo vazio que poderei preencher como quiser ou deixá-lo assim, sozinho em si mesmo, completo, total."

"Ando meio fatigado de procuras inúteis e sedes afetivas insaciáveis."

"Olha, eu estou te escrevendo só pra dizer que se você tivesse telefonado hoje eu ia dizer tanta, mas tanta coisa. Talvez mesmo conseguisse dizer tudo aquilo que escondo desde o começo, um pouco por timidez, por vergonha, por falta de oportunidade, mas principalmente porque todos me dizem que sou demais precipitado, que coloco em palavras todo o meu processo mental (processo mental: é exatamente assim que eles dizem, e eu acho engraçado) e que isso assusta as pessoas, e que é preciso disfarçar, jogar, esconder, mentir. Eu não queria que fosse assim. Eu queria que tudo fosse muito mais limpo e muito mais claro, mas eles não me deixam, você não me deixa"


"Ah. Menina, o que foi que foi que aconteceu com você? O que foi que fizeram com você? Eu não sei, eu não entendo. Roubaram a minha alegria, Tiamelinha quando foi pra clínica só dizia isso: roubaram a minha alegria, é tudo uma farsa, aquele olho desmaiado, é tudo uma farsa, roubaram a minha alegria. A primavera, o vento, esperei tanto por essa margarida, e veja só. Atrofiada. Aleijada. As pedras frias do chão da cozinha , rolar nua neste chão, qualquer dia faço uma loucura, faz nada, você está nessa marcação faz mais de dez anos. Mais de dez anos. A gente se entrega nas menores coisas. "

"Eu preciso muito muito de você eu quero muito muito você aqui de vez em quando nem que seja muito de vez em quando você nem precisa trazer maçãs nem perguntar se estou melhor você não precisa trazer nada só você mesmo você nem precisa dizer alguma coisa no telefone basta ligar e eu fico ouvindo o seu silêncio juro como não peço mais que o seu silêncio do outro lado da linha ou do outro lado da porta ou do outro lado do muro.Mas eu preciso muito muito de você."

"Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu. "

"Me ajuda que hoje eu tenho certeza absoluta que já fui Pessoa ou Virginia Woolf em outras vidas, e filósofo em tupi-guarani, enganado pelos búzios, pelascartas, pelos astros, pelas fadas. Me puxa para fora deste túnel, me mostra ocaminho para baixo da quaresmeira em flor que eu quero encontrar em seu troncoo lótus de mil pétalas do topo da minha cabeça tonta para sair de mim e respiraraliviado e por um instante não ser mais eu, que hoje não me suporto nem me perdôo de ser como sou sem solução".


Sem Caio F. o que seriam das minha noites de frio e chuva, sem Caio F., Clarice Lispector, romances russos, livros de história, chocolate, Doritos, Coka´s, e um pouco de ópio?O que seria de mim , sinto falta de mim quando não os vejo.Consumindo seres que só existem nos livros, sendo possida peos que já morreram.Quase um necrofilia literária.
Ópio, morte e violação.
Parece uma boa combinação!

2 comentários:

alicia disse...

Aprendeu comigo em Tatá !

Tataá Albuquerque disse...

Óh sim Clarooooooooo!=(